sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Liam


Mini Imagine do Liam Payne 


"Quando se ama, se chora, sofre, dói, se quebra o coração.. mas ''aquela" pessoa, vai te fazer ser feliz, te ajudar a superar tudo. Te levantar quando você cair. Te ajudar quando estiver sofrendo. "

 Era o que eu pensava, até o Ian terminar comigo.
 Ian estuda comigo desde a pré escola, e sempre fomos melhores amigos, até o dia que decidimos 'tentar' algo novo, para ver se não era mais que amizade.. se podíamos ser algo, juntos. Mas aquele sentimento que tínhamos um pelo outro não era.. paixão. Não eramos maduros entre nós, para começar um relacionamento. Juntos, nós somos apenas dois bobalhões. Nada mais.
 Mas cara, me doeu tanto quando ele terminou comigo. Apesar de não ter realmente terminado comigo, eu entendi o recado. Foi mais ou menos assim:
 'Era onze e meia da manhã quando ele me ligou. Atendi de primeira.
 -Oi, gordo. - atendi.
 -Oi obesa, como tá ai? - ele perguntou.
 -Tudo beleza, e aí? - perguntei.
 -Só feiura. -revirei os olhos.
 -Que foi? - perguntei.
 -Você acha que agente foi feito para ser melhor amigos? - ele perguntou, e eu entendi.
 -É. - foi o que respondi.
 -Eu também. - ele disse.
Minha mãe me chamou para lavar a louça do jantar, bem naquele instante que eu iria perguntar o motivo daquilo tudo.
 -Tenho que ir. Desculpa. -falei, e deixei o "eu te amo" para trás.
 -Tchau, princesa. - eleu se despediu e eu desliguei.''

É, depois disso, foi difícil. Mas ainda somos melhores amigos. Ele vive lá em casa e eu na casa dele. Apesar de minha mãe ser rigorosa, cuidadosa e preocupada, ela deixa o Ian até dormir lá em casa. Talvez por ver que o máximo que podemos ser é amigos, e ser bem amiga da mãe dele.. Ela deixa. 

  Bom, não me apresentei: sou Vitória, mais conhecida por Tori, por causa daquele programa da Nickelodeon. Tenho 17 anos e estou terminando meu ultimo ano de ensino médio. Moro em Bradford. É, a cidade que o tal de Zayn, não sei lá das quantas, e a família dele moram. E sei lá, mas moro na rua da família do rapaz. Apesar de nunca, mesmo, ter sequer falado com nenhum deles. Eu, definitivamente, não sou uma Directioner! Eu não sei o que significa estar sempre atrás do cantor, tirando toda a privacidade da vida particular dele. Mas né.. 

Tá, agora indo ao assunto legal mesmo; quando tudo começou.
To em duvida se vou direto ao ponto: eu e Liam; ou se conto como gomos parar naquele lugar, naquela noite. Ah.. vou contar desde  o inicio.

"Tudo começa em um dia chuvoso em Seattle, eu voltando com minha mãe de carro. A musica alta. A pista embaçada. O sentimento ruim. As borboletas no estomago. Os pelos do braço, em pé. Os olhos com lágrimas. A vida destruída  Não só uma, mas três. Dois carros quebrados. Sangue. Poeira. Tristeza. Um milagre. Algo surpreendentemente inexplicável. Uma vida salva. Uma garota. Algo que não era possível, mas havia acontecido. A vida daquela garota, normal, havia sido salva. E era dever dela, ser agradecida eternamente, por aquele tal milagre que a vida dela havia salvo. E por fim, aquela garota.. Sou eu.

 Sim, perdi minha mãe em um acidente de carro. O outro motorista estava bêbado e com a família no carro, ele perdeu o controle e minha mãe não conseguiu enxerga-lo, já que os faróis estavam desligados  e assim.. causou a morte da família  do motorista e de minha mãe. Foi o pior mês da minha vida. Mas foi a partir daquele dia, que tudo ficou pior. Fazia uma semana que eu e Ian não estávamos mais juntos. Meu pai.. eu nunca conheci. Não tenho irmãos. Não sei sobre nenhum parente. Mas agora  minha vida estava realmente mudando.



Nenhum comentário:

Postar um comentário